sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Adeus,

Não quero viver à tua imagem, nem sob a tua protecção. Estou farto das putas das tuas histórias, que me tentam assustar e mostrar-me que os lobos assombram as noites lá fora. Não acredito nelas. E sabes porquê? Porque depois estragas tudo e fazes-me entender que afinal, os monstros são sempre aqueles que estão ao nosso lado. E pouco me importa se me abafas a cara num acto de carinho ou de agressividade, é-me igual. Já não noto a diferença.
Posso não ser o melhor filho, posso até mesmo nunca chegar a ser motivo de orgulho para ti, mas tu também nunca te mostraste um herói para mim. E as dúvidas invadem-me e pergunto-te, em silêncio: alguma vez tentaste?
Os teus beijos já não me sabem a nada. E desconheço o conforto dos teus abraços. Volta a ficar em silêncio com esses olhos a brilhar de arrependimento, que não me basta. O teu orgulho supera a tua credibilidade.
Vou viver para um pequeno apartamento de uns amigos meus. Lobos, que me conquistaram pela sua monstruosa ternura. E não te preocupes. Se eles me atacarem eu retribuo, com carinho. Tal como me ensinaste.
Começo hoje a mudar-me. Parte por parte de mim. Até já não me teres.
Diz à mãe para não chorar, que eu volto para a visitar.
Desculpa-me. E ainda te amo.

7 comentários:

  1. Bem...Isto está tão forte :\
    Gostei da forma como escreveste, mas fiquei triste com o conteúdo do texto.
    Não sei da tua vida, mas todos os problemas que envolvem família e pais...mexem e remexem comigo porque também me toca num ponto fraco.
    Espero que a ida para a casa dos teus amigos te livre desses lobos que estão na rua, eles vão-te proteger muito mais do que uns abraços 'agressivos' da pessoa que dizes que continuas a amar.
    Não ganhes rancor a essa pessoa, talvez mais tarde ambos se apercebam da sua razão para cada acção que tiveram. Espero do fundo do coração que saias dessa floresta com lobos e encontres uma casinha confortável de carinho e cheia de gente que te queira bem.
    Não deixes a tua mãe. Um beijinho e anima-te*

    ResponderEliminar
  2. Amazing photo!

    http://fehmoda.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito de ler as tuas palavras, por difícil que seja esta fase não desistas, tenta manter-te calmo e sereno, decide com sabedoria. Muita sorte nesta nova etapa rapaz. Hugs

    www.20yearsoflove.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. As tuas palavras...sempre tão fortes!
    Força, tudo irá melhorar!

    ResponderEliminar
  5. Este texto, como outros teus, assombra-me. Sem rodeios, livre daquelas mentiras que dizemos a nós próprios para nos confortar. Sem orgulho.

    ResponderEliminar
  6. Não sei bem do contexto...mas parece-me perceber-te muito bem. Questões com a figura paterna são as que não me faltam! Sinceramente imagino o porquê do texto (ou sou eu a levá-lo à minha imagem) e confesso que me surgiram momentos assim (como o que descreves) ao longo dos últimos anos! Talvez saiba o que pensar para mim, ou talvez até soubesse ouvir-te e dar-te alguns conselhos...mas há coisas que nem os amigos mais próximos (que não será decerto o meu caso) nos sabem iluminar. A verdade é que há aventuras em que estamos sós......No fim de contas acaba sempre tudo por se resolver.

    Adorei o blog e vou seguir!
    Força aí rapaz!
    Kisses
    João

    ResponderEliminar
  7. Não sei bem o que dizer, mas senti necessidade de o fazer...
    Nem tão pouco,sou capaz de imaginar,sequer, o que estivas a sentir nesta altura... mas posso sempre te aconselhar: sê sempre fiel a ti próprio, independentemente de quem seja aquele que te aponte o dedo!
    *

    ResponderEliminar