terça-feira, 14 de junho de 2011

És um ser moldável...



Antes de te beijar pela primeira vez, de permitir que me tocasses e visses o meu corpo por completo, antes de te entregar o meu coração... poderias ter-me contado todas as monstruosidades que tens dentro de ti, mostrar-me toda a tua frieza e desencobrires toda a sujidade que tens no teu corpo. Despires as vestes que te assentavam tão bem e mostrares-te de alma inteira. Talvez eu pudesse ter-te amado de igual forma como amei, mas de uma maneira mais limpa.
Já não sei mais o que sinto por ti, Um Pagão

17 comentários:

  1. Dois posts num dia, estou parva contigo. :o
    É uma pena que quase todos nos identifiquemos com as musicas da Adele.

    ResponderEliminar
  2. Generalizando: Talvez as pessoas tenha demasiados preconceitos e complexos consigo e de se mostrar...não deviam ter medo de se mostrar...não ter medo de se mostrar a quem mais amam e a quem mais as ama!

    ResponderEliminar
  3. Nunca ninguém se despe ao mesmo ritmo..
    Parabens :) vou ficar a seguir

    Abrç
    LS

    ResponderEliminar
  4. sim, porque a minha vontade de estudar é praticamente nula !

    ResponderEliminar
  5. Meu amigo, roubando este texto teu, com os devidos créditos! Tudo a ver comigo tambem....
    Um abração, saudades tbem! :D

    ResponderEliminar
  6. ela poderia ter-te mostrado isso tudo.. mas, quises.te saber?
    entregaste-te.

    ResponderEliminar
  7. Entreguei-me por completo sim, mostrei tudo de mim. E a outra parte vestiu-se da melhor forma...até que as linhas se rasgaram. A silhueta não era a dela...

    ResponderEliminar
  8. então foste enganado de tal forma qe não viste a falsa silhueta.
    és mais puro que ela, e isso, é algo bom

    ResponderEliminar
  9. Pagão,

    Vi este poema no Blog do L. Stein. Maravilhoso! Eu gostaria de tê-lo escrito!
    No natal passado comi frango pensando tratar-se de peru (puxa! Quase cometo a deselegância de dizer que comi galinha pensando tratar-se de perua), metaforicamente falando... é claro!

    Um grande abraço!

    Quanto ao seu poema, vou postá-lo no meu Blog esta semana. É claro que com devido créditos e um link para o seu Blog.
    Um grande abraço!

    Carlos Kurare

    "Eu bebo até café frio! Desde que a companhia seja quente!"
    Carlos kurare

    ResponderEliminar
  10. Um Pagão,

    Eu que agradeço a sua gentileza de partilhar seus textos. Amanhã publico seu texto no meu blog e parabéns pela inspiração.

    Um grande abraço!

    Carlos Kurare

    "Toda lagarta é uma borboleta em potencial!"
    Carlos Kurare

    ResponderEliminar
  11. Pois, é bem verdade, mostrarem-se era tão melhor, porque o conhecido, mesmo que mau, é passível de ser amado e o que desconhecemos, como seremos capazes de amar?

    http://myfashioninsider.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  12. E eu a tua. Talvez porque esteja a conhecer um "ele" tão despido do que era antes, tão sujo por dentro.

    ResponderEliminar
  13. Descobri agora o blog e já morro de amores.

    ResponderEliminar
  14. Porque o encanto assusta-me mais do que a perturbação. E por sua vez, palavras capazes de perturbar parecem-me sempre mais fortes do que as capazes de encantar. Estarei eu a ser antagónica?

    ResponderEliminar
  15. Não vi as coisas por esse prisma, até porque quando um texto me perturba tende a ser algo forte, demasiado forte. E isso não é mau, pois não? Nesse caso, não me inclinei para o lado negativo, apenas enfatizei o adjectivo que mais me suscitou interesse. Ainda assim, tens toda a razão. Somos seres demasiado preocupados com os espinhos. Porque de facto, às vezes magoam-nos tanto, não magoam?

    ResponderEliminar
  16. Despir-se não só a roupa mas também as mascaras. ai ai adorei o texto, acho que foi o melhor que li deste que sigo seu blog. Tem quem ame em um ritmo e quem ame de outro. Nem sempre é agradável.

    ResponderEliminar