terça-feira, 17 de maio de 2011

Que fique a seda e que se abram as asas...


            Pedro poderia passar horas aconchegado a olhar para um pequeno caracol a comer uma qualquer espécie de planta, vegetal ou fruto, onde observava espantado que afinal os caracóis também tinham dentes. Chegava a pensar, reprimindo um sorriso, se seriam mais brancos do que os dele.
            Sentia-se bem ao passear descalço. E nas montanhas, gostava de saltar de pedra em pedra, e equilibrar-se em troncos que teriam desmaiado por ali. Gostava das melodias da chuva e dos trovões, uma arte livre para ele, e gostava de sentir a chuva cair no seu corpo e pousar para os flashs de relampagos.
            Por vezes, quando se sentia triste e com raiva, agarrava numa pequena pedra e apertava-a com muita força, como se fosse capaz de a espalmar, e depois pensando em todas as coisas más que queria afastar atirava-a com vigor para o mar.
            Pedro era diferente, e sonhava ser ruivo.
.



E  hoje ainda sou assim, Um Pagão

7 comentários:

  1. O Pedro é um menino muito bonito.
    Afinal de contas sempre tem os olhos azuis :3

    ResponderEliminar
  2. Como Pedro, eu apertava pedras e queria ser ruiva. E sim, às vezes ainda sou assim. Ainda ando muito descalça e meus caracóis eram de estimação :)

    Trilha sonora perfeita, como o texto.

    ResponderEliminar
  3. gostei das fotos
    :D

    apostei um novo look
    -;D
    espero qe goste
    XD

    ResponderEliminar
  4. para mim, confere tudo, menos a parte do querer ser ruivo x)

    quanto às fronteiras... eu não fui à minha, quanto muito olhei-a de longe, a imaginar o que era cruzar a linha. e sinceramente,hoje não tenho mais essa curiosidade. a cada passo aproximo-me dela, portanto não há necessidade de correr e correr o risco de tropeçar.

    ResponderEliminar
  5. quanta beleza :)
    to seguindo teu blog, gostei muito do layout e do jeito como escreves.
    bjs

    ResponderEliminar