quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

segundo retoque

Em pequenos passos, com uma certa timidez, cheguei àquele bocado de mundo...
- Quem és? (perguntei-me)
Observei, tentei entender e fascinei-me. As luzes incidiam em ti com uma outra intensidade. Algo mais forte, mais vibrante. 
Conseguia inalar um cheiro forte a café concentrado com umas gotas de limão que adocicavas com a tua expressão.
Entreguei-me a ti de corpo suado, forma que encontrava para repulsar venenos passados, e davas-me prazer como se me tentasses prender e me fizesses implorar por mais. 
Pensei que conseguisse resistir mas tornou-se um vicio e deixei-me ser consumido em vez de consumirmos...
Tentei resolver tudo para não falhar no resultado. 
Agradar-te era realmente o meu desejo, mas falhei.
Nunca fui bom em equações destas, mas voltei atrás, vi o que estava mal e agora... Agora corro para chegar a tempo de o emendarmos juntos.
Se não conseguir fazer a minha parte ou falhar mais uma vez, é defeito meu.
Talvez, e se tu quiseres, com uma linha e uma agulha me consigas coser, ou com um pincel e tinta consigas retocar-me a pintura...
Coisa que já não tenhas feito, mas talvez precise de um segundo retoque.

2 comentários:

  1. Olha escreve um livro. Publica-o.
    Pelo menos uma cópia vendes a mim, e depois quero um autógrafo :D

    Juro que adoro a maneira que escreves. E odeio-te por isso :b

    ResponderEliminar
  2. está tão espectacular portela (:
    parabéns, continua, JS :b

    ResponderEliminar