terça-feira, 14 de dezembro de 2010

E o relógio avança...


Baixo-me, toco na terra húmida e com as pontas dos dedos frios pego num pouco de terra que, numa tentativa falhada, tento espremer.
Levanto-me, dou dois passos ou três, e numa pequena poça de água turva, com as mãos em forma de concha, tento separar a água dos pequenos pós de terra. Mas volto a falhar.

Para quê tentar separar aquilo que a Terra uniu? - penso
E continuo o meu caminho...


5 comentários:

  1. eu gosto do que escreves e gosto, especialmente, do design do blog, está mesmo ao meu gosto!

    ResponderEliminar
  2. portela, eu amo o teu blog, está o máximo!
    Joana Santos*

    ResponderEliminar